Notícias

14/01/2011

China quer via aberta para África e benefícios fiscais

O investimento chinês em dívida pública portuguesa vai custar mais a Portugal do que o encargo com juros. Segundo o “Diário de Notícias”, o apoio da China terá como contrapartida fazer do país um trampolim para África, além do acesso a benefícios fiscais

O interesse da China em dívida pública portuguesa terá outros custos que não apenas o preço dos juros. O investimento chinês está a ser feito em troca de facilidades na tomada de participações em bancos e empresas estratégicas portuguesas, além do acesso a benefícios fiscais e aduaneiros, bem como a fundos comunitários para a inovação de e energias renováveis, noticia hoje o “Diário de Notícias”.

Por outro lado, os investidores chineses querem que Portugal seja uma via aberta para reforçarem a sua presença em África, designadamente para Angola e Moçambique, mercados onde a China já tem interesses.

Também o facto de Portugal ter assento no Conselho de Segurança das Nações Unidas nos próximos dois anos será outro dos motivos para a China apoiar Portugal.

Recorde-se que, na recente visita do presidente chinês, Hu Jintao, a Portugal foram assinados vários acordos de parceira entre empresas portuguesas e congéneres chinesas. A EDP anunciou mesmo que a eléctrica chinesa sua parceira deverá assumir uma posição qualificada no seu capital. No BCP, a tomada de uma participação pelo ICBC também é dada como certa.
 

Fonte:

Jornal de Negócios

Assecont Serviços Contábeis Ltda
Fone: (54) 3218-6400 - Fax: (54) 3218-6439
Rua Coronel Camisão, 361, Centro - Caxias do Sul - RS - CEP: 95020-420